Sem dúvida alguma com as altas taxas de desemprego atuamente em nosso País, muitas pessoas tem optado por trabalhos informais, como prestação de serviços, aulas particulares, transporte de passageiros,venda de mercadorias e alimentação.

Mas, apesar da informalidade diminuir o desemprego,se ela não for formalizada a longo prazo pode acarretar prejuízos, pois a pessoa deixa de ser beneficiária do INSS e está conta pode ser alta lá na frente!

Especialistas do Sebrae-SP afirmam que a formalização é sem dúvida o melhor caminho para o Microempreendedor Individual (MEI) 

É a segurança para a entrada no mundo dos negócios.

Com o MEI, por exemplo, consegue ter o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita abertura de conta bancária; pedido de empréstimos, emissão de notas fiscais; direito à aposentadoria; salário-maternidade; auxílio doença; oportunidade de vender para órgãos da administração pública.

É necessário atentar que, após a regularização, deve-se recolher mensalmente as  contribuições de R$ 49,90 (ao INSS), acrescido de R$ 5,00 (para Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (para Comércio e Indústria) por meio de carnê emitido através do Portal do Empreendedor

A formalização é gratuita e deve ser feita pelo Portal do Empreendedor no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br.

O SEBRAE oferece orientação gratuita sobre a formalização. Para saber qual a unidade do SEBRAE mais próxima acesse:  http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/Contato.